Siga por E-mail

terça-feira, 7 de junho de 2011

Roteiros off road pelo Brasil

Sacolejar em estradas de terra esburacadas e comer muita poeira. Como prêmio, um mergulho em belas praias e cachoeiras. Conheça quatro passeios off road pelo País.

No turismo off road, a aventura começa antes de chegar ao destino

Passar por estradas de terra, atolar o veículo em trilhas esburacadas, atravessar córregos. Tudo no melhor estilo “quanto mais sujo, melhor”. Como recompensa, um mergulho em belas praias e cachoeiras.
Não falta emoção no turismo fora de estrada – ou off road – a bordo de potentes caminhonetes ou em charmosos jipes. E você não precisa ter seu próprio veículo 4x4 nem se enrolar com mapas para encarar a aventura, já que existem roteiros completos, na companhia de motoristas-guias que conhecem o percurso. Assim, sobra tempo para contemplar a paisagem.
Selecionamos quatro roteiros que percorrem cenários deslumbrantes. Escolha o seu e pé na estrada.

Praia de Castelhanos – Ilhabela
Depois de sacolejar na trilha por duas horas, o prêmio é conhecer a praia mais bonita da ilha
A praia fica escondidinha do outro lado de Ilhabela. Para chegar até lá, é preciso sacolejar no jipe por quase duas horas. A trilha atravessa vários rios e cachoeiras, além de muitos obstáculos: pontos escorregadios, com inclinação acentuada e grandes pedras. Quando chove, a estrada fica enlameada, o que é um desafio e tanto.
Mas só de ver a extensa faixa de dois quilômetros da praia, considerada a mais bela da ilha, já compensa qualquer esforço. E não pense que acabou. O passeio inclui ainda uma caminhada de 40 minutos até a Cachoeira do Gato, uma queda d’água com 70 metros de altura e piscina natural.
Parque Nacional da Serra da Canastra – Minas Gerais
Além de belas cachoeiras, cruze os dedos para encontrar tucanos e tamanduás-bandeiras
Prepare-se para comer poeira: são mais de 240 quilômetros de estrada de terra. E são necessários pelo menos dois dias para conhecer os encantos do parque, onde nasce o Rio São Francisco. Pelo trajeto, pausas para contemplar a vegetação única do cerrado e torcer para cruzar com tucanos,tamanduás-bandeira e lobos-guará.
A aventura continua na caminhada de seis quilômetros até a Casca d’Anta, cartão-postal do parque. A maior queda do Velho Chico, com seus quase 200 metros de altura, despenca de um enorme paredão. Já a Cachoeira do Pai Inácio se destaca pelas águas transparentes e piscinas naturais rasinhas, ótimas para um mergulho.

Parque Estadual do Jalapão – Tocantins
Cartão-postal do Jalapão, as águas da Cachoeira da Velha despencam em forma de ferradura
Os 200 quilômetros de Palmas até a entrada do parque são percorridos em rodovia. A aventura começa mesmo dentro do parque, com estradas de terraque só podem ser percorridas em veículos 4x4.
Você vai precisar de, no mínimo, dois dias para conhecer alguns dos encantos do Jalapão, das dunas de areia avermelhada a volumosas quedas d’água, da vegetação rasteira do cerrado aos imponentes cânions.
O roteiro inclui caminhada até a Cachoeira da Velha, a maior do parque, cujas águas despencam por quedas em formato de ferradura. Pertinho dali, pausa para um mergulho nas águas da prainha do Rio Novo, o maior rio de água potável do Brasil. Outra parada obrigatória é o Poço do Fervedouro, onde é impossível afundar nas suas águas cristalinas.
Praia de Mundaú – Ceará
Friozinho na barriga quando o jipe sobe as dunas de Cauipé. Praias sossegadas pelo caminho
Saindo de Fortaleza, são 160 quilômetros até a Praia de Mundaú, na chamadaRota do Sol Poente. Você vai sentir um friozinho na barriga quando o jipe subir as dunas de Cauipé, passando pelas lagoas do Banana e do Cauipé. Na sequência, uma sucessão de praias tranquilas: Pécem, Taíba, Paracuru... Uma estrada de terra leva até a Praia da Lagoinha, onde o coqueiral fincado sobre a areia tem a forma de meia-lua.
Paradinha na bela Praia de Flecheiras, com seu mar cristalino e piscinas naturais que se formam na maré baixa. O passeio continua até a Praia de Mundaú, onde a dica é fazer um passeio de catamarã pelo rio, que forma um S quando desemboca no mar, e inclui um merecido mergulho nas águas.


Reportagem original de Mônica Cardoso, disponível em:

Nenhum comentário:

Postar um comentário